Ágil é sinônimo de confiabilidade

Por Oscar Correia | 28/08/2017

Somente se, usarmos como manda a cartilha a estrutura de algum framework para a agilidade, teremos uma melhora e a resolução dos problemas encontrados nos projetos e o progresso das equipes, não respeitando está regra e usando apenas partes de algum framework e nada do mindset ágil, ​fora disso, aparecem os gaps, problemas dentro das equipes e o retrabalho, quando se ignora etapas a constatação é, os problemas nos projetos se estenderão.

​Cria-se a cultura da incerteza e historicamente um impacto nos processos, a incerteza neste caso começa a subir e o projeto será prejudicado, principalmente o fator entregar no prazo com o mínimo desperdício e dor de cabeça. É nesta hora que vemos como é importante a figura do Scrum Master ou Agile Coach para promover mudanças colaborativas.

É estimado por Ken Shwaber que 75% das organizações que usam algum framework de agilidade não conseguirão obter os benefícios que eles esperam disso. Fazer agile parece fácil, ser agile assume disciplina e coragem. 

Você se sente preparado para os desafios desse novo ambiente de projetos?

Muitos executivos em diferentes organizações aceitam o fato de que metodologias Agile, é o quadro certo, fornece um ROI excelente e pode ser um diferencial competitivo na implementação da estratégia da organização para mudar. Cada organização é diferente; possui diferentes modelos de negócios, produtos e ofertas de serviços, operando em diferentes mercados, com alto grau de risco e incerteza e enfrenta diferentes desafios macro e microambientes.

 

 

 O eixo horizontal (X), o grau de certeza se relaciona entre a causa e efeito, as questões estão perto de certamente quando a causa e os vínculos efetivos podem ser determinados, nesta situação pode-se usar as experiências passadas para planejar as ações futuras e esperar com um bom grau de certeza, um resultado positivo.

Quando problemas ou decisões estão longe de serem certos, o resultado desejado não é claro, novas situações começam a aparecer, o nível de concordância e questões entre o time começam a se complicar.

No eixo vertical (Y), não há concordância sobre o problema e nenhuma certeza sobre a causa e os efeitos, nesta região, é quando não existe um Scrum Master ou Agile Coach para ajudar no andamento, se existe, não tem autonomia para ajudar corretamente a equipe, seu papel não está claro para a empresa, é uma área onde prevalece o caos, nasce a anarquia. Este é o extremo em que a instabilidade e a estabilidade estão inextricavelmente invertidas e a área do caos deve ser evitada.

Entre os extremos do espectro há uma grande área chamada zona de complexidade, aqui as abordagens corretas do agile não são afetivas, então as zonas de complexidade são imprevisíveis. Nesta área, você não pode especificar os detalhes do produto antecipadamente nem concordar com esses detalhes com um grau de precisão. Essas condições exigem um ambiente colaborativo entre o usuário e o time de desenvolvimento (quando menciono time estou falando de desenvolvedores + QA).

A melhor abordagem a se usar é ter um Scrum Master ou Agile Coach, pois requer um alto grau de criatividade e inovação para produzir uma solução. Para aplicar um framework (ou mais que um) com precisão e suas cerimônias é essencial compreender as forças dinâmicas que o mesmo envolve, sua visão, estratégia futura e posição a nível de mercado que pode ajudar a empresa operar. 

Priorizar o que é mais importante, isso faz reduzir a complexidade

É necessário saber o que é mais importante para a empresa, alguém com visão orientando a equipe, ou deixar que cada colaborador use individualmente um modelo agile da forma que lhe apraz. Se quer o tempo de ciclo longo nos projetos (meses) ou curtos (dias, semanas), priorize se deseja usar um modelo tradicional e sequencial ou exploratório enfatizando a agilidade e a velocidade.

A mudança cultural traz consigo a cultura de confiança, da colaboração (passando de single skill e partir para multi skill), propriedade coletiva e aprendizagem, mas sinergia e integração são necessárias para que agile seja sinônimo de confiabilidade.

  

 

Oscar Correia      – Agile Coach / Scrum Master 

                         – Graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 

                         – Contribuidor no Project Management Institute 

                         – Community Member Writer da Scrum Alliance 

                         – Certificação: CSP / CSM / Lean Six Sigma 

                         – Palestrante 

                         – Escritor contratado pela editora Tate Publishing, USA

 

 


Gostou do artigo? Compartilhe para que seus amigos também possam ler.